O empresário ligou ao responsável pelo XL. Tinha sonhado que ficava com o espaço. Marcaram um almoço e fecharam o negócio.

“Estou, Vasco? Sonhei que ficava com o teu restaurante. Como é que queres fazer isto?” O telefonema foi feito por Olivier da Costa a Vasco Gallego, responsável pelo XL, o espaço junto à Assembleia da República, em Lisboa. Marcaram um almoço para falarem melhor e fecharam negócio. Meses depois o projeto está de novo pronto a receber clientes. Ganhou uma nova decoração, novos pratos — se bem que não faltam alguns clássicos — e um novo nome: XXL by Olivier.

O XL fechou na altura do primeiro confinamento — ainda em 2020 — e não voltou a abrir. Este era um dos restaurantes clássicos de Lisboa, com mais de 25 anos de atividade. Abriu em 1994 e funcionava exclusivamente ao jantar. Por ali passaram políticos, figuras conhecidas e artistas. Nada a que Olivier não esteja habituado nos outros conceitos que tem aberto no País.

“Sabia que o Vasco [Gallego] o tinha fechado e era uma pena não estar aberto. Era o espaço de topo na minha infância. Quando comecei a a trabalhar, em 1998, este era o restaurante onde todos queriam estar”, explica à NiT Olivier.

O empresário quis recuperar o conceito do antigo XL, mas dando-lhe o habitual twist que podemos ver noutros projetos pelos quais é responsável. “Este é um restaurante com comida simples, muito boa. É um sítio para se comer bem e estar à mesa com os amigos. Não gosto de empratar. Na minha mesa não há pobreza.”

Leia a notícia na NIT e deixe-se guiar pelo Mundo de Olivier.